Funorte

Pedagogia

Informações Gerais

LOCAL DE FUNCIONAMENTO: Campus São Luís

Rua Lírio Brant, 787 – Bairro: Melo
Montes Claros/MG - CEP 39.401.063   -    (38)2101-9494

Coordenadora de curso -

Modalidade - Licenciatura

Vagas - 100

Duração - 4 anos  (08 Períodos)

Carga horária - 3.760 horas

 
O Curso

O Curso

O curso de Pedagogia destina-se a formação de professor para atura, com ética e compromisso na docência na educação infantil – crianças de zero a cinco anos e nos anos iniciais do ensino fundamental de 1ª a 4ª série, propiciando a elas o desenvolvimento das dimensões físicas, emocionais e cognitivas. Além disso, o profissional egresso do curso de Pedagogia está preparado para atuar na docência de cursos de nível médio, na modalidade Normal e também como pedagogo em organizações escolares e não escolares e não escolares, Ongs, conselhos tutelares, postos de saúde, igrejas, penitenciárias, indústrias, empresas e hospitais.

O que você vai estudar O curso de Pedagogia oferece fundamentação teórico-prática necessita de formação competente e responsável de profissionais, nos campos pedagógicos para atuar nas áreas supracitadas. A proposta curricular e a distribuição dos conteúdos se expressam em três núcleos, estudos integradores, aprofundamento e diversificação baseados nos princípios fundamentam educação, ou seja, ética, inter-relação teoria-prática, integração ensino, pesquisa e extensão. O curso orienta-se no sentido de capacitar o pedagogo para intervir nos processos pedagógicos que envolvam alunos com necessidades educacionais especiais, tanto na escola comum quanto nas escolas de educação especial.

Campos de Pesquisa e Extensão

O curso prioriza as práticas investigativas como meio de produção do conhecimento e intervenção na prática social. As pesquisas se dão no campo educacional em espaços escolares e não escolares laboratórios do curso são identificados como salas-ambiente as quais servem às atividades práticas, conteúdos programáticos, além de desenvolvimento de habilidades no exercício do magistério, realização de discussões práticas, auto-aprendizagem e pesquisa, com enfoque principal à integração e articulação dos aspectos teóricos e práticos. A brinquedoteca, equipada com brinquedos e jogos, é um espaço que desenvolve habilidades dos estudantes para a arte a as vivências lúdicas. Atualmente montada na Escola Estadual Gonçalves Chaves, serve de campo de pesquisa e extensão para os acadêmicos. O curso também com uma classe hospitalar em parceria com o hospital Aroldo Tourinho.

Principais atividades do curso

Eventos científicos como seminários, palestras, encontros, projetos sociais desenvolvidos em parceria com Centro de Pós-Graduação da Soebras e outros cursos de licenciatura da rede. Acontece também a Semana da Educação, sempre no 2º semestre do ano, num momento de encontro dos cursos de licenciatura, quando são programadas palestras, oficinas, apresentação de projetos e dos melhores trabalhos realizados pelos alunos.

Informações complementares

O curso atende às diretrizes curriculares do MEC fornecendo fonte teórica e prática. O estágio supervisionado é realizado em escolas de ensino público e privado, creches e centros de educação infantil.

 
Missão e Objetivo

Missão

Formar professores para exercer funções de magistério na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, nos Cursos de Ensino Médio, na modalidade Normal, de Educação Profissional na área de serviços e apoio escolar e em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos.

Objetivo

O curso de Pedagogia tem como objetivo prioritário formar professores para exercer funções de magistério na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, nos Cursos de Ensino Médio, na modalidade Normal, de Educação Profissional, na gestão de processos educativos e funcionamento de sistemas e instituições escolares e em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos.

Nasceu da transformação do Normal Superior, já existente na IES, tendo em vista as rápidas transformações pelas quais estão passando os fazeres profissionais, transformações estas que marcam, de forma particular, o profissional da educação, em virtude das transformações paradigmáticas que colocam a educação como fenômeno global e permanente, ou seja, que acontece em diferentes espaços e não só no “lugar escola” e durante toda a vida do indivíduo, e não só no primeiro quarto da sua existência.

Nesse contexto, exige-se que os cursos de Pedagogia, a partir das Diretrizes Curriculares/2006, explicitem os princípios norteadores de sua atuação com vistas a assegurar resultados efetivos na formação global do educador e gestor e, conseqüentemente, abrir as possibilidades para sua inserção nos processos sociais, considerando a variabilidade dos processos educativos e sua permanência, para além dos muros da escola. 

Essa proposta é, portanto, o resultado de um debate que se coloca em nível nacional, sobre o futuro da profissão do educador num contexto marcado não só pela presença massiva das mídias, mas por mudanças culturais profundas que apontam para a necessidade de um novo pacto social que tenha no “homem” sua principal referência, paradigma que serve, inclusive, de contraponto à massificação e à homogeneização características desse tempo. A proposta contempla, assim, a diversidade dos espaços educativos bem como dos meios que unem uma pessoa a outra, na relação educativa.

O curso buscará a formação de uma cidadania consciente e ativa oferecendo aos seus alunos bases científico-culturais e pedagógicas que lhes permitam identificar e posicionar-se frente às transformações que o sistema educacional brasileiro vem passando, incorporando-se à vida produtiva como possibilidade de transformá-la em “vida criativa”.

 
Perfil Profissional

Campo de Atuação

O campo de atuação profissional do pedagogo se define nas seguintes esferas.

1- Escola de Educação Básica:

O curso de Pedagogia irá preparar, em nível superior, o profissional para atuar na docência na Educação Infantil e Anos Iniciais, nas modalidades regulares, educação especial, educação indígena, educação rural e educação de jovens e adultos; além de prepará-lo para o desempenho de outras funções como coordenação pedagógica, supervisão, inspeção, orientação, e administração escolar.

2- Espaços Não-Escolares

- Em projetos e instituições educativas (ONGs, Conselhos Tutelares, Postos de Saúde, Igrejas, Penitenciárias, Indústrias, Empresas e Hospitais) ou em ações coletivas e culturais com jovens, meninos de rua, idosos, mulheres, negros, comunidades indígenas, etc.

- Avaliação de sistemas, projetos educacionais, comunicações de massa, informática, entre outros.

- Na pesquisa e investigação, oferecendo condições, ainda, para o aprofundamento dos estudos em nível de pós-graduação, contribuindo para a geração e construção de conhecimento científico.

 

 
Coordencação

Rita de Cássia Maciel Leal Alves do Carmo

Currículo Lattes

Fone/Funorte: (38) 2101-9494

 
Extensão

APRESENTAÇÃO

Numa sociedade cuja quantidade e qualidade de vida assenta em configurações cada vez mais complexas de saberes, a legitimidade da universidade só será cumprida quando as atividades, hoje ditas de extensão, se aprofundarem tanto que desapareçam enquanto tais e passem a ser parte integrante das atividades de investigação e de ensino. SANTOS, Boaventura de Souza.

A extensão universitária é na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a extensão universitária deve ser entendida como ato ou efeito de estender à comunidade social, o acesso pela Instituição de Ensino Superior-IES, indissociável, portanto, das funções de ensino e pesquisa. 

 

Deste modo as Instituições de Ensino Superior-IES têm a oportunidade de levar até à comunidade os novos conhecimentos que produz, ao pesquisar os valores e a cultura regional e divulgando-os com o ensino. É uma forma de socializar e democratizar o conhecimento, levando-o também aos não universitários. Neste ato de comunicação dos cursos da Instituição com a realidade local , regional ou nacional, ocorre a possibilidade de renovação constante de sua própria estrutura, de seus currículos e suas ações tornando-os mais inseridos no contexto de realidade do país.

Sendo assim, o ensino necessita da extensão para levar seus conhecimentos à comunidade e completá-lo com aplicações práticas. A interdependência, portanto, entre ensino-pesquisa e extensão se faz obrigatória, pois a extensão, nas diversas áreas precisa dos conteúdos, dos educandos e dos professores para ser efetivada; necessita, ainda, da pesquisa, para diagnosticar e oferecer soluções para os diversos problemas com os quais irá deparar-se, bem como para que esteja, constantemente, atualizando-se, pois, a pesquisa não pode prescindir dos conhecimentos detidos pelo ensino, como base de partida para novas descobertas e, também do ensino e da extensão, para difundir e aplicar sua produção e, assim, indicar-lhe os novos rumos a seguir. Os cursos da Instituição esperam que, através do seu Núcleo de Extensão-NEX, possam prestar uma contribuição sócio-educacional às comunidades interna e externa, no oferecimento de atividades de extensão com qualidade e compromisso social.

Integração Ensino, Pesquisa e Extensão

O princípio da integração é o que vai possibilitar união entre o todo institucional e suas partes, fundamental para a qualidade das ações internas e externas. Assim é necessário que professores, alunos e funcionários busquem a integração, em todas as relações, de idéias e intenções, planos, projetos e programas, assim como entre setores e entre a FUNORTE e outras instituições afins.

A integração pressupõe uma atitude de abertura ao coletivo e ao entendimento da diversidade como riqueza para o crescimento. É fundamental a integração entre ensino, pesquisa e extensão; entre atividades-meio e atividades-fim, para que a qualidade das ações dê a visibilidade institucional desejada, fazendo-se cumprir sua missão. A indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão deve embasar os programas de ensino da FUNORTE, seus núcleos temáticos e suas atividades acadêmicas de iniciação científica, a mais ampla prática profissional, em articulação com a comunidade. Deve-se buscar a consolidação da metodologia de trabalho, de forma que no ensino haja espaço para a integração da pesquisa e da extensão, por meio de ações estratégicas, no sentido de:

  • criar e desenvolver linhas de pesquisa institucionalizada por meio de núcleos interdisciplinares de projetos de pesquisa e de extensão, envolvendo docentes e alunos;
  • produzir conhecimento, resultante de linhas de pesquisa e de extensão que considerem a realidade e que envolvam também empresas, favorecendo a evolução cultural, científica e tecnológica;
  • estimular o desenvolvimento da produção científico-tecnológica e sua disseminação para a sociedade, incrementando a prestação de serviços;
  • integrar as atividades complementares, Projetos Interdisciplinares e TCC´s às ações pedagógicas do Curso;
  • propiciar a orientação aos alunos em projetos de iniciação científica;
  • fortalecer programas de pós-graduação integrados com a graduação, numa visão sistêmica, implementando convênios regionais, nacionais e internacionais.


Com este posicionamento as linhas básicas de ensino, pesquisa e extensão da FUNORTE fundamentam-se na perspectiva da educação continuada.
Além de nortear-se pelo princípio da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a FUNORTE considera essencial a articulação entre as várias modalidades de ensino, por meio de programas coordenados e da prática docente em todos os níveis. Em seu projeto educacional, a FUNORTE incentiva o desenvolvimento de competências que mobilizam, integram e articulam os conhecimentos, o saber-fazer e as atitudes necessárias para a busca de soluções. Para tanto, os coordenadores devem ser orientados para a elaboração de um Perfil do Profissional e Currícular pertinente a este perfil e ao mesmo tempo buscar a implantação de programas que busquem reforçar a empregabilidade do aluno e antecipar seu ingresso no mercado de trabalho.

Política de Pesquisa

A FUNORTE estimula a pesquisa no âmbito da graduação, envolvendo docentes e estudantes no Programa de Iniciação Científica, mediante incorporação do princípio de investigação durante a formação profissional, com a supervisão de professores/pesquisadores, proporcionando a produção de conhecimento nas áreas de prioridade institucional. Incentiva também pesquisas que envolvem a aproximação entre a universidade e empresas.

A promoção da Iniciação Científica constitui um dos elementos do programa de desenvolvimento da FUNORTE. Os projetos de iniciação científica, aprovados pela Coordenação de Curso, pela Comissão de Ética, são de responsabilidade dos docentes proponentes, que orientam as atividades desenvolvidas pelos alunos.

Política de Extensão

A extensão interliga a FUNORTE por meio das atividades de ensino e de pesquisa com as demandas da sociedade e possibilita a formação profissional pessoal e social do cidadão, a prática de educação empresarial e linhas programáticas extensionistas institucionais:

1. Na dimensão da relação entre FUNORTE e sociedade, a extensão viabilizará e realizará projetos sociais, comunitários, artísticos, culturais, esportivos, com linhas programáticas tais como: integração esporte e atividade física com atenção à saúde; atendimento integral à criança, adolescentes e idosos; atenção a grupos de pessoas com necessidades especiais; melhoria da saúde; qualidade de vida; formação de mão-de-obra; qualificação para o trabalho; reorientação e capacitação profissional por meio de projetos de alfabetização, educação de jovens e adultos e de cursos profissionalizantes, tais como: Alfabetização Solidária, Inclusão Digital e Cursos para a 3ª. Idade.

2. A Política de Extensão poderá prever linhas programáticas pertinentes ao terceiro setor e à cultura. Em relação ao terceiro setor, abrangerá as áreas de práticas de atuação social - arte e cultura, cidadania e direitos humanos, desemprego ou geração de renda, desenvolvimento comunitário, direito do consumidor, educação, esportes, meio ambiente, moradia, saúde, violência. Em relação à cultura, desenvolve ações sociais e esportivas. Esses programas fortalecem a imagem da FUNORTE como instituição cidadã, com responsabilidade social.

3. Na formação profissional, desenvolverá projetos, cursos e realizará a prestação de serviços como educação corporativa, oferecerá cursos personalizados, fortalecerá a integração universidade-empresa. Baseiar-se-á no eixo temático educação para o trabalho: educação continuada, educação profissional/corporativa, capacitação e qualificação de recursos humanos, empreendedorismo, inserção no mercado de trabalho e qualidade de vida acadêmica. 
Assim, desenvolverá educação corporativa, oferecerá cursos personalizados para empresas e outras instituições, de modo a atender necessidades específicas de formação profissional, de acordo com as peculiaridades de cada segmento de negócio.

ATIVIDADES DE EXTENSÃO

OBJETIVOS

CURSO DE INICIAÇÃO

Oferecer noções introdutórias em uma área específica do conhecimento (abaixo de 40h).

CURSO DE ATUALIZAÇÃO

Reciclar e ampliar conhecimentos habilidades ou técnicas em uma área de conhecimento (acima de 40 h).

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO

Aprimorar ou aprofundar habilidades técnicas em uma área do conhecimento, podendo ter caráter eventual ou permanente; constituí-se de conjunto estruturado de disciplinas ou atividades correlatas, com carga horária mínima de 180 horas.

CURSO DE TREINAMENTO PROFISSIONAL

Treinar e capacitar em atividades profissionais específicas

EVENTOS CIENTÍFICOS E TÉCNICOS

Promover atividades acadêmicas científico-culturais como: Congressos; Mesas-redondas; Simpósios; Encontros – Seminários; Palestras; Conferências e Outros.
Assessorias / Consultorias atividades de transferência à comunidade do conhecimento gerado e instalado na Instituição.

PROJETOS DE EXTENSÃO

Integrar os professores e acadêmicos com a comunidade através dos projetos de extensão, aumentando o campo de atuação e aperfeiçoamento dos acadêmicos e melhorando a qualidade de vida da comunidade em geral.

 
Biblioteca Virtual

Consulta on-line

Acesso Externo (Fora do Campus) - Clique Aqui!

Acesso Interno (Dentro do Campus) - Clique Aqui!

 

 
Docente

Docentes Pedagogia 2011

* Alba Valéria Niza Silva - Mestre em Literaturas de Língua Portuguesa

* Alessandra Almeida De Souza Nogueira - Especialista em Docência Do Ensino Superior

* Angela Márcia  Da Silva Braga - Especialização Em Ciências Sociais

* Cássia Aparecida Soares Silveira - Mestre

* Edi Freitas - Mestre em História

* Elcio Lucas -  Doutorado em Letras


* Euprônio Da Costa Campos Neto - Especialista em Novas abordagens


* Halley Fernando Castro - Especialista em Ensino em Estatística


* Ivanilde De Cássia Ferreira Barral - Especialista em Inspeção escolar e Teoria e prática e em supervisão educacional


* Jadson  Rabelo Assis - Mestre em Promoção de Saúde


* José Normando Gonçalves Meira - Doutor em História da Educação


* Josimar Tadeu Santa Rosa De Souza - Especialização “Gestão De Pessoas Nas Instituições”


* Lara Firmino Araújo - Especialização Em Artes Visuais: Cultura e Criação


* Leila Aparecida Silveira Silveira - Especialização em Gerência Da Qualidade


*  Maria Cristina Ferreira Cordeiro - Especialização Em Metodologia Do Ensino Da Matemática 


* Natan Araújo Pereira - Mba Gestão Empresaria E Marketing

* Rita De Cássia  Maciel Leal Alves Do Carmo - Especialização Em Docência Do Ensino Superior

* Rosani Kristine Paraíso Garcia - Especialização Em Educação Especial Inclusiva 

* Rosilene Beatriz Lopes Oliveira - Mestrado Em Educação

* Samuel De Jesus Duarte - Doutorado Em Teologia

* Soraya Rocha Melo - Especialização Psicopedagogia

* Tânia Porto Vieira - Especialização Em Língua Portuguesa Linguística

* Wellinghton Danilo Soares - Doutorado Em Andamentos Em Ciências Do Desporto

* Wilson Da Silva - Doutorado Em Fitotecnia

 

 
Atividades Extracurriculares

Projeto Caminhos da Leitura

Período: Semestral
Coordenação: Lara Araújo
Programa:  O “Caminhos da Leitura”, inspirado no projeto “Literatura para Todos”, da Faculdade de Letras da UFMG em Belo Horizonte, foi trazido para Montes Claros por meio da parceria firmada entre a Funorte, a UFMG e a MCTrans. O objetivo é incentivar a leitura da literatura nacional, divulgar obras de artistas plásticos da nossa região e, consequentemente, incitar o desejo na população montes-clarense de produzir suas próprias obras. O projeto conta com a participação de acadêmicos dos cursos de Comunicação Social, Letras e Pedagogia da Funorte.


* Seminário de Libras

O que é: É um seminário voltado para a reflexão sobre a importância da Libras para a formação do educador.

Onde e quando acontece: Acontece no Campus São Luís e/ou no Campus São Norberto, semestralmente.

Envolvidos: Acadêmicos dos cursos de Letras e de Pedagogia, além dos coordenadores e professores.

Público atendido: Acadêmicos dos cursos de Letras e de Pedagogia da FUNORTE e também acadêmicos de outras instituições. São disponibilizadas 250 vagas.

Período de desenvolvimento:  Junho e Outubro 

Organizadora do evento: Professora Rosani Cristine Paraíso Garcia

 

* Visitas Técnicas - Trabalho de campo (Aldeia Xacriabá, Cidades Históricas)

O que é: O trabalho constituiu em mais uma iniciativa de articular teoria e prática. Para os acadêmicos foi uma experiência muito interessante, pois além de ver na prática o funcionamento da escola, obtiveram informações com os sujeitos diretos desse processo: professores, atendente de biblioteca e o cacique da aldeia.

Onde e quando aconte: Aldeia Xacriabá Município de São João das Missões - Última visita realizada no dia 29-10 -2010 (sexta feira)

Coordenação: profª de Educação Indigena e do Campo - Lisa Vany Ribeiro Figueiredo e  Coordenadora de Extensão profª Vânia Siqueira.

Público atendido: alunos do 6ª e 7ª períodos de Pedagogia e mais 2 alunos do curso de Jornalismo.

Objetivos: conhecer in loco o funcionamento de uma escola indígena e do campo, bem como aspectos da cultura indigena Xacriabá. Na oportunidade, os acadêmicos vistaram também a cidade de João das Missões, onde puderam conhecer um pouco da história da cidade através da história oral contada por uma moradora.


* Projeto de Extensão “Classe Hospitalar”

O que é: A Funorte  através do curso de pedagogia realiza o projeto de extensão para humanizar através pedagogia hospitalar. Além disso é uma uma oportunidade  de estágios e compreensão das funções pedagógicas do professor na classe hospitalar. A Pedagogia Hospitalar consiste em uma área científica que tem como principal objeto de estudo a melhoria da qualidade de atendimento à criança hospitalizada, outro aspecto é divulgar uma área diferente das tradicionais ( sala de aula convencional), respeitando os direitos, interesses e necessidades afim de promover a continuidade do seu desenvolvimento intelectual, social, emocional e cultural

Onde e quando aconte: O projeto é realizado no hospital Dilson Godinho, em Montes Claros

Coordenação: Professora Vânia Siqueira

Público atendido: Crianças do setor oncológico

Objetivos: * Compreender as funções pedagógicas diante da intervenção  do professor de classe hospitalar na proposta do projeto da Ciranda da Vida; * Identificar as características do trabalho pedagógico da classe hospitalar;* Observar à práxis do Pedagogo hospitalar ;* Verificar a relevância do trabalho pedagógico na classe hospitalar.

 

* Projeto de extensão “Reforço escolar”

O que é: o projeto prioriza práticas pedagógicas que envolvam e trabalhe a realidade das crianças, através do acompanhamento escolar, com a proposta de formar agentes de construção da saber, promovendo intervenções eficazes no sentido de despertar no aluno o prazer em aprender de forma agradável, construtiva e criativa. Serão desenvolvidas atividades práticas relacionadas aos conteúdos programáticos, além de desenvolvimento de habilidades no exercício do magistério, realização de discussão práticas, auto-aprendizagem e pesquisa, com enfoque principal à integração e articulação dos aspectos teóricos e práticos.

Onde e quando acontece: Escolas públicas. O projeto acontece no primeiro semestre de cada ano.

Coordenação:

Público atendido: Alunos das Escolas Estaduais Gonçalves Chaves e Zinha Prates.

Objetivos: Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4

* Possibilitar o desenvolvimento de habilidades no exercício do magistério, realização de discussão práticas, auto aprendizagem e pesquisa, com enfoque principal à integração e articulação dos aspectos teóricos e práticos.

* Melhorar o rendimento escolar de crianças com defasagem oferecendo um ambiente propício e agradável no qual o aluno terá prazer em aprender, de forma criativa e construtiva, promovendo além da aprendizagem significativa um bom relacionamento interpessoal, resgatando a auto-estima das crianças.


PALESTRAS

Temas: arte brasileira, arte moderna e a obra de Hélio Oiticica.
Palestrante: Artista plástica Ana Durães 
Data: Quinta-feira, 16/09/2010, Horário: 21h
Local: Campus São Luís – Rua Lírio Brant 787, bairro Melo. 
Histórico da Artista Plástica: Nascida em Diamantina, Minas Gerais, a artista, radicada no Rio de Janeiro, participou de dezenas de exposições coletivas e realizou individuais no Palácio das Artes de Belo Horizonte, Museu Nacional de Belas Artes e Museu Histórico Nacional (RJ), Museu de Arte Moderna de Salvador, MASP (SP), e em cidades como Berlim e Paris. Além do trabalho como artista plástica, Ana se dedica à cenografia e artes gráficas. No currículo estão cenários para shows dos cantores Chico César e Joana, assim como o palco da celebração dos direitos humanos no Aterro do Flamengo e a ambientação da sala de promessas na Basílica de Aparecida do Norte. No início de 2009, foi nomeada diretora do Centro de Arte Municipal Hélio Oiticica, no Rio de Janeiro.


Tema: A imprensa como forma de criação
Palestrante: Dolino             
Data: 11 de Março 2010, horário 21h
Local: Auditório do Campus São Luis
Participantes: Acadêmicos dos cursos de Pedagogia, Letras-Português/Espanhol e Jornalismo
Histórico do Palestrante: Com exposições em Nova Iorque e Roma, além de mostras no Uruguai, Argentina, Índia e Suécia, Luiz Geraldo do Nascimento, o Dolino, é pintor e especialista nas discussões sobre mídia, arte e cultura. Esses temas serão abordados durante a palestra A imprensa como forma de criação, realizada nessa quinta-feira, 11/03, em Montes Claros. A convite do amigo e também artista Carlos Muniz, Dolino irá falar com acadêmicos, professores e profissionais sobre experiências e trabalhos realizados. Nascido em Macaé (RJ), em 1945, Dolino iniciou os estudos sobre pintura na Escolinha de Arte do Brasil, em 1961. Quatro anos depois, especializou-se no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, onde, em 1997, retornou como expositor. A obra de Dolino possui forte teor abstrato em que o pintor busca transmitir a realidade com exatidão e originalidade por meio de traços geométricos e combinações de vermelhos, rosas, azuis, laranjas, verdes e marfins. Além das telas, é responsável pelo projeto gráfico do livro A Lição do Amigo, de Carlos Drummond de Andrade, publicado pela Editora Record.  O trabalho do artista foi e é reconhecido em publicações feitas pela editora Salamandra que, em 1990, publica o livro Dolino, com uma coleção de trabalhos do pintor. Em 2000, a editora lança o livro Allegro Affettuoso – Memórias, que revela os trabalhos presentes no Museo de la Revolución , em Havana.


Tema: Sala de Aula Interativa: A educação presencial e a distância em sintonia coma era digital e com a cidadaniaPalestrante: Sociólogo Marco Silva
Data: 11 de Junho 2010, 19 h
Local: Auditório da Escola Normal Professor Plínio Ribeiro
Participantes: Acadêmicos dos cursos de Pedagogia, Letras-Português/Espanhol e Jornalismo
Histórico do Palestrante: Marco Silva é sociólogo, doutor em educação, professor-pesquisador da Faculdade de Educação da Universidade Estadual do Rio de Janeiro—UERJ e da Pós-Graduação da Universidade Estácio de Sá (RJ). Membro diretor da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (Abciber). Autor dos livros sala de aula interativa (Rio de Janeiro, 2000) e educación interactiva: enseñanza y aprendizaje presencial y on-line (Madrid, 2005). Coordenador dos livros educação online (São Paulo, 2003) e avaliação da aprendizagem em educação online (São Paulo, 2006). Autor de diversos textos sobre educação, pós-modernidade, interatividade e tecnologias digitais.

 

* Monitorias (IMPAR – Escola de Criança)

* Minicursos: Oratória / Leitura e Produção de Texto / Saber cuidar da criança e Educação Lúdica 

 

 
Estágio

Organização e Dinâmica do Estágio

 

Docência Educação Infantil

1ª FASE - 5º Período – 200 horas

 

Prática de Ensino - 40 horas

Oficinas Pedagógicas (construção de material pedagógico) - 10 horas

Observação e caracterização da prática pedagógica: 20 horas

§ Caracterização – 10 horas

Participação em Conselho de Classe – 02 horas

Participação em reunião de pais – 02 horas

Participação reunião de Professores - 02 horas

Leitura do Projeto Político pedagógico – 02 horas

Leitura do Regimento – 02 horas

§ Observação – 10 horas

Pesquisa sobre escola de Educação Infantil - 10 horas

Þ Regência – 160 horas

Semi Regência: 60 horas

Regência: 60 horas

Projeto Recreação/Leitura/Temáticos: 20 horas

Seminário de Estágio I - 20 horas

 

- 1º Bimestre: Início do estágio

- 2º Bimestre: acompanhamento e avaliação do estágio.

- Feed Back: Horário de aula: Prática de Ensino I

 

 

Docência Anos Iniciais

2ª FASE - 6º Período – 200 horas

 

Þ Prática de Ensino - 40 horas

§ Oficinas Pedagógicas (construção de material pedagógico) - 10 horas

§ Observação e caracterização da prática pedagógica: 20 horas

§ Caracterização – 10 horas

Participação em Conselho de Classe – 02 horas

Participação em reunião de pais – 02 horas

Participação reunião de Professores - 02 horas

Leitura do Projeto Político pedagógico – 02 horas

Leitura do Regimento – 02 horas

§ Observação – 10 horas

§ Pesquisa sobre escola de Educação Básica - 10 horas

 

Regência – 160 horas

Semi Regência: 60 horas

Regência: 60 horas

Projeto Recreação/Leitura/Temáticos: 20 horas

Seminário de Estágio II: 20 horas

 

 

- 1º Bimestre: Início do estágio

- 2º Bimestre: acompanhamento e avaliação do estágio.

- Feed Back: Horário de aula: Prática de Ensino II

 

Gestão de Processos Educativos, Organização e Funcionamento de Sistemas de Ensino

3ª FASE - 7º Período: Supervisão, Orientação Educacional, Inspeção Escolar e Espaços Não Escolares - 200 horas

Þ Prática de Ensino - 40 horas

§ Preparação e orientação das atividades a serem desenvolvidas.

Þ Espaços Não Escolares – 40 horas

- Caracterização do trabalho do pedagogo na empresa

- Pesquisa sobre o trabalho do pedagogo na empresa

- Participação em eventos/atividades da empresa que envolvam atividades do pedagogo

Þ Inspeção Escolar – 40 horas

- Caracterização do espaço de trabalho do inspetor

- Pesquisa sobre o trabalho da Superintendência de Ensino e do Inspetor Escolar

- Participação em eventos/atividades da superintendência

- Desenvolver trabalho de inspeção escolar

Þ Espaços Escolares (Pedagogo) – 40 horas

- Caracterização dos setores de supervisão e orientação escolar

- Participação em reuniões de pais

- Participação de Conselho de Classe

- Desenvolver trabalho de supervisão e orientação escolar

Þ Seminário de Estágio Supervisionado III – 40 horas

- Apresentar os trabalhos desenvolvidos durante o estágio

A orientação dada em sala de aula através das aulas de Prática de Ensino permite que o estagiário:

  • · discuta e aprecie o plano de ação do estágio para as instituições onde Irá estagiar;
  • · escolha a instituição conveniada em que irá estagiar;
  • · esclareça dúvidas pertinentes ao estágio e as formas de encaminhamento do mesmo;
  • · analise criticamente o PROJETO PEDAGÓGICO da Educação Infantil e dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental e o PLANO DE AÇÃO da instituição em que realizará o estágio;
  • · identifique as dificuldades apresentadas por estudantes, professores e demais componentes da comunidade escolar;
  • · apresente em um seminário as conclusões dos relatórios de cada aspecto observado, das conversas, questionamentos, enfim, descreva o “Diagnóstico Educacional do local onde estagiou”;
  • · elabore projetos pedagógicos, que atendam as necessidades das instituições onde serão realizadas as atividades de estágio;
  • · elabore o relatório técnico final das atividades realizadas durante o estágio supervisionado;
  • · avalie o processo de estágio.

 
 
 

 

Veja Também

Manual do Enade

Manual do Enade <<AQUI>>

Manual do Estudante <<AQUI>>

 

 


Leia Mais...

EDITAIS ABERTOS

<< EDITAL >> Mestrado Profissional

<< EDITAL >> Semana do Bêbe http://files/br_semanadobebe.pdf

<< EDITAL >> Monitoria Voluntária

<< EDITAL >> Serviço Social

<< EDITAL >> Ação, Saúde e ...

Leia Mais...

Calendário Acadêmico 2014

Manual do Acadêmico

Centro de Esp. Médicas - CEMED

A Funorte/Soebras oferece à população de Montes Claros e região diversos serviços, com atendimentos especializados e tratamentos nas mais diversas áreas da saúde.


Leia Mais...

Plataforma Brasil

 

 

Informamos que todos os pesquisadores deverão realizar o cadastro e que os cadastros feitos no ...

Leia Mais...

Programa de Iniciação Científica Medicina

O Pró-Ciência é destinado aos graduandos do curso médico, entre 3º e 8º períodos. A Iniciação Científica trabalha no aperfeiçoamento do graduando, constituindo parte fundamental de um curso superior.


Leia Mais...

Ligas Acadêmicas de Medicina

As Ligas Acadêmicas (LAs) são entidades basicamente constituídas por estudantes, buscando aprofundar o conhecimento sobre temas em uma determinada área ou especialidade.

Saiba mais


Leia Mais...

Processo Seletivo